Análise Técnica por Fausto de Arruda Botelho
 

São Paulo, 21 de Março de 2001.

DOW JONES
Os Comprados jogam a toalha
21.03.2001 por Fausto de Arruda Botelho Diretor Geral - Enfoque

O estudo do Gráfico semanal (escala logarítmica) acima, feito pela Enfoque, nos mostra que o Índice Dow Jones esteve numa tendência de alta iniciada em meados de 1982 com três  movimentos muito bem definidos e de amplitudes percentuais muito similares. Constate no gráfico, os três  movimentos abaixo descritos:

Normalmente, três movimentos no sentido da tendência ou "3 Pernas" de alta, são mais do que suficientes para tirar os preços de um nível subvalorizado e levá-lo para um nível super valorizado, já que no segundo e terceiro movimentos, a euforia que toma conta do mercado faz com que a tendência de alta passe de passagem pelo seu "Valor Real",  e alcance estes níveis supervalorizados. Em outras palavras, é com muita frequência que os mercados revertem ou sofrem uma correção mais acentuada após 3 pernas de alta.

 

Mas deixemos a análise de longuíssimo prazo de lado, para fixarmos nossa análise na ultima perna que é por si uma tendência de longo prazo. De fato essa tendência iniciada no final de 1994 e que coincide com a explosão da Internet, durou mais de 5 anos. O gráfico abaixo mostra o detalhe dessa tendência que tem 4 movimentos de alta, com amplitude e ou variação percentual muito similares:

 

 

Nesta análise de longo prazo vemos que existe e é muito provável de acontecer, a possibilidade de termos uma correção mais acentuada nessa tendência de longo prazo. Não se preocupe que o gráfico não foi indexado ou que a inflação americana não tenha sido descontada pois faria muito pouca diferença em termos gráficos. O ângulo de inclinação da tendência de alta seria um pouco amenizado mas as análises abaixo continuariam totalmente válidas.

 

O fato é que após 4 pernas de alta podemos e devemos esperar que aconteça uma correção mais acentuada. Até onde pode chegar essa correção que acreditamos vai acontecer? A técnica dos números fibonacci diz que após uma expansão podemos esperar que o mercado corrija de 38 a 62% da amplitude percentual do último movimento de alta. Considerando que o último movimento foi a Perna 3 da tendência de longo prazo, vemos no gráfico abaixo que a retração de 38% seria equivalente ao mercado voltar para o fundo da crise da Rússia, onde ele esteve em Outubro de 1998.

 

Mas para saber se é agora, a partir dessa atual acumulação que o Dow Jones irá começar a cair (ou se ele ainda sobe mais antes disso), podemos observar a atual acumulação que começou ha quase dois anos, em abril de 1999, quando os 10.000 pontos foram finalmente rompidos, sob o prisma de tentar descobrir qual dos exércitos irá vencer essa acumulação. Na verdade hoje ficou claro que os comprados jogaram a toalha e os vendidos finalmente, após dezoito anos de derrotas, hastearam sua bandeira de vencedores da atual batalha. Vejamos porque:

 

O Analista Técnico observa as acumulações sob o prisma de tentar adivinhar quem ganhará a batalha que ocorre entre os exércitos dos comprados e dos vendidos que ficam meses se digladiando nestas faixas de preços. A batalha é ganha quando um dos exércitos consegue fazer os preços romperem esta faixa de preços. Se para cima, os comprados ganham; se para baixo, a vitória é dos vendidos. Essa batalha atual foi travada entre os níveis de 11.750 e 9654.60 exatamente. Com o fechamento de hoje do Dow Jones a 9486.2, ficou fácil para os analistas técnicos saber que os vendidos ganharam a batalha

 

A vitória é acompanhada, certamente de uma polpuda recompensa, simplesmente porque enquanto os preços ficaram nos últimos 2 anos oscilando nessa faixa de preço, eles ganharam muita energia potencial, por causa das ordens de stop que foram colocadas logo abaixo do chamado nível de suporte (a parte de baixo do campo de batalha) a9654.6. Na medida que o mercado veio abaixo de 9654.60, essas "ordens a mercado" foram acionadas como se fora um rastilho de pólvora, fazendo os preços recuarem rapidamente para baixo e para longe do campo de batalha. Essa é a recompensa do vendidos que agora vão poder comprar bem mais barato auferindo grandes lucros.

 

 

O rompimento da reta suporte de longo prazo em destaque no gráfico acima, bem como das médias móveis que se mantiveram intocáveis durante 7 anos confirmam a vitória dos vendidos sendo mais uma indicação de que está ocorrendo uma reversão desse movimento de alta, com o Dow Jones devendo sofrer uma correção mais acentuada que como dissemos seria no mínimo igual ao primeiro número Fibonacci (retração de 38.2%) que está destacada no gráfico abaixo.

 

 

 

Assim, em função das razões expostas, acreditamos que o Índice Dow Jones reverteu sua tendência de alta e vai entrar agora numa tendência de baixa que deverá levá-lo inicialmente até o nível em que ele esteve no final da crise da Rússia em Outubro de 1998, a 7.500 pontos. .

 


 

Fausto de Arruda Botelho CFTe; CNPI
Certified Financial Technician – IFTA
Certificado Nacional de Profissionais de Investimento - registrado na CVM
Diretor Geral da Enfoque Informações Financeiras Ltda. (Enfoque).

Em conformidade com as disposições da Instrução CVM nº 388, eu Fausto de Arruda Botelho, analista de investimento responsável pela elaboração deste relatório declaro que:

  • 1. As análises e recomendações refletem única e exclusivamente minhas opiniões pessoais, às quais foram realizadas de forma independente e autônoma, inclusive em relação à (Enfoque).
  • 2. Não mantenho vínculo com qualquer pessoa natural que atue no âmbito das companhias cujos valores mobiliiários foram alvo de análise neste Relatório.
  • 3. A Enfoque não administra fundos, carteiras e clubes de investimentos
  • 4. A Enfoque não possui participação acionária direta ou indireta, igual ou superior a 1% (um por cento) do capital social de quaisquer das companhias cujos valores mobiliários foram alvo de análise neste relatório.
  • 5. A Enfoque não está envolvida  na aquisição , alienação ou intermediação de valores mobiliários objeto de análise neste relatório.
  • 6. Não sou titular, direta ou indiretamente, de valores mobiliários de emissão da(s) companhia(s) objeto da análise neste Relatório, que representem 5% (cinco por cento) ou mais de meu patrimônio pessoal, e não estou envolvido na aquisição, alienação e intermediação de tais valores mobiliários no mercado.
  • 7. Nem eu nem a Enfoque recebemos remuneração por serviços prestados e não temos relações comerciais com qualquer das companhias cujos valores mobiliários foram alvo da análise neste relatório, ou pessoa natural ou pessoa jurídica, fundo ou universalidade de direitos, que atue representando o mesmo interesse desta(s) companhia(s).
  • 8. Minha remuneração não está, atrelada à precificação de quaisquer dos valores mobiliários de emissão da(s) companhia(s) objeto de análise neste Relatório, nem às eventuais receitas provenientes dos negócios e operações financeiras realizadas pela Enfoque com esta(s) companhia(s).